sábado, 7 de fevereiro de 2009

raffe... gi raffe

há qualquer coisa de libertador em correr pelo corredor de um hotel de 4 estrelas de pistolas de dedo em punho a fazer de agente secreto...

domingo, 1 de fevereiro de 2009

trezentos e quinze quilómetros

vinte e um dias.
já as malas vão de viagem, ainda me fico por aqui a deambular nos fios que me cosem ao meu chão. pouco me falta, nada me falta, já falta pouco.
passo o dia na cama, deixo o corpo dormir quando quer, comer qualquer coisa nos intervalos. olhas-me sonolento e nessa lassidão recupero-me devagar. para o que me há-de desgastar.
são demasiadas horas longe do meu porto, lá no Porto. vou-me desenterrando dos lençóis e pensando no que falta levar, as pontas soltas que não me apetece atar. recordo quem fica com um peso no coração, entre bolsas e bolsinhas livros e cartões de memória. se por cada bolsa mil beijos e um olhar cúmplice.
depois de amanhã lá me solto, sem muita vontade, à estrada dos meus vinte e um dias.
conto, sim, com as mãos de sempre que me farão companhia, este ano o Porto é nosso e o Artes em Partes e a Miguel Bombarda e Serralves e a Ribeira e pôres do sol na piscina. este ano, Bojangles, tomas conta de mim e eu tomo conta de ti, mostras-me o teu Porto que ainda não vi e estancamo-nos as feridas em chás e cigarros e cervejas tardias enquanto os nossos amores não vêm. que eu até levo um fervedor eléctrico e o cinzeiro portátil em honra do frio.

mas não quero melancolia, o vento já é cinzento que chegue e isto é para crianças. por isso vou-me devagarinho, descolando do abraço só mais um bocadinho nos lençóis levanta o queixo e beija-me de caminho. com uma melodia que me apaixonou à primeira porque é tão minha que assim até podia gostar de mim.



Oren Lavie . her morning elegance

Sun been down for days | A pretty flower in a vase | A slipper by the fireplace | A cello lying in its case

Soon she's down the stairs | Her morning elegance she wears | The sound of water makes her dream | Awoken by a cloud of steam | She pours a daydream in a cup | A spoon of sugar sweetens up

And She fights for her life | As she puts on her coat | And she fights for her life on the train | She looks at the rain | As it pours | And she fights for her life | As she goes in a store | With a thought she has caught | By a thread | She pays for the bread | And She goes... Nobody knows

Sun been down for days | A winter melody she plays | The thunder makes her contemplate | She hears a noise behind the gate | Perhaps a letter with a dove | Perhaps a stranger she could love