terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

frases a reter

"está maluca"
"temos uma situação"
"se te deixares enganar, parece que os barcos estão no céu"
"vais entrar em palco no último dia, sim senhora"
"desculpa a confusão em que te meti quando te convenci a fazeres o casting"
"anima-te, dentro em pouco estaremos com os nossos amores"
"este teatro é mais bonito do que os olhos conseguem ver"
"tu, aqui!"
"sinto-me como se fosse domingo à noite e tivesse acabado o MacGuyver: não sei o que hei-de fazer agora"

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

a roda dos alimentos de pantanas

de repente, regressa a maldição do pé torcido. e eu, que já me tinha despedido das minhas personagens, que adivinhava uma estadia pacata, a contra-regrar e a sentar miúdos daqueles que ainda sobem escadas de gatas, tenho de voltar.
e encarar aquelas dificuldades que julgava engavetadas [por agora]
hoje estou ainda em choque. cansada, moída.
e os olhos cheios de sono que não se fecham para descansar. ao menos a cabeça limpa para relativizar. vou tentar dormir. quem sabe amanhã corra tudo pelo melhor.
e daqui p'rá frente...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

pequenas observações

antes de partir, há tempo para umas coisas...
passar pelo antigo emprego, onde me cravam 2 projectos para fazer em 10 dias.
saber que me querem de volta, mas ainda a tentarem fazer-me as papas na cabeça.
saber que ganhei um distanciamento destes senhores que me permitiu deixá-los a resfolegar durante as negociações... que ainda não acabaram... é deixá-los suar... e ver até quanto posso esticar.
saber que por mais apetecível que seja voltar a ter ordenado certo [ainda que pequenino] todos os meses do ano, valho mais que isto. e a minha saúde, mental e emocional, vale muito mais que isto.
saber que aos 28 anos ainda não perdi o estúpido costume de não me acomodar.
saber que, pelas escolhas que faço, ainda não é desta que venho morar para Lisboa.
saber que o mais certo é voltar a não ter férias.

saber que, à medida que vou aviando as malas, me dói um bocadinho mais saber que nós vamos estar longe um do outro tantos dias, tantas horas, tantos segundos.
e o silêncio adensa-se cá dentro.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

próxima paragem

antes do desemprego: Porto.
directamente da avenida da Liberdade para o auditório da Exponor... tripeiros, temei, a Polegar vai em digressão...
serão 15 dias de rambóia. bem, da possível, tendo em conta que faremos uma trintena de espectáculos num curtíssimo espaço de tempo.
e o hotel tem piscina... eheheh