domingo, 23 de maio de 2010

check-out

uma sexta-feira, às sete da tarde, tiraram um género de dentro de um chapéu. não gostaram e tiraram outro. Mistério.
levaram uma frase, uma personagem e um objecto obrigatórios.
mandaram um e-mail para o outro lado do Atlântico e do lado de cá começou a espera.
3 horas depois chegou um texto, ligaram-se skypes e chats, distribuíram-se personagens, definiu-se o plano de trabalho, adereços, roupa e marcou-se uma hora para encontro no dia seguinte.
a essa hora estavam lá todos, textos na mão. uns montaram equipamento, outros vestiram-se, maquilharam-se e ensaiaram. depois foi-se gravando, rindo, gravando, enervando, rindo. a avó Fernanda fez o almoço.
às onze da noite foi declarado "that's a wrap" e deu-se o último aplauso no décor.
depois foram para casa, uns dormir, outros editar, tratar som e imagem.
às sete da tarde de Domingo, entregaram uma história com 8 minutos.

na sexta seguinte, chegaram para ver o seu trabalho num cinema. ficaram contentes por o trabalho estar porreiro.
algumas horas depois, estavam em cima de um palco, distraídos. porque tinham ganho prémios por boa fotografia, edição e - a cereja no topo do bolo - a escolha do público, e por isso achavam que já não ganhavam mais nada.
estavam distraídos a olhar para a assustadora cara do projeccionista lá longe numa janelinha por cima da plateia.
estavam tão distraídos que não perceberam logo quando disseram o nome da equipa.

ficaram abazurdidos para o resto da noite, com um cheque gigante tipo os da Bota Botilde encostado à parede, a fazer uma festa que se espraiou pelas escadarias do cinema. a rir meio a chorar para um telemóvel que os ligava ao outro lado do Atlântico.
agora aqueles 8 minutos vão passar lá longe, num festival internacional.

sem cunhas. sem compadrios. puro mérito.

saboreiem bem. não sabem quando uma destas se volta a atravessar no vosso caminho :)

1 impressões digitais:

wicahpi disse...

o reconhecimento era algo que teria de chegar. tu mereces...
feliz. por ti**