quinta-feira, 29 de novembro de 2007

auto-dedicação


foto de espanta-espíritos

para mim, aos meus fantasmas de bolso, com banda sonora ou silêncios, sem dúvida em fôlegos apertados. caminhadas na minha cidade de vento frio a baralhar-me o cabelo. as imagens escorrem apesar de não serem chamadas. simplesmente estão lá. vivas, de bocas riscadas para baixo e palavras amealhadas em meias ilusões que almofadam a queda. é tempo. é tempo de as agarrar com os dedos e ignorar punhos cerrados. para que as sinta sem me magoar. para que não me esqueça. mas para que repouse. servir a gosto.

mudemos de casa; porque é preciso
arrumar as dores de outra maneira,
certificarmo-nos da existência do corpo
em novos lençóis, voltar a ter ilusões,
lugar propício para a curiosidade
de alguns que nos fazem acreditar
que a vida é um amplo anfiteatro
para as mãos.

jorge gomes miranda

agradeço à lebre e à menina limão, que me ajudaram a arrumar as ideias.

6 impressões digitais:

MPR disse...

Pronto... estou de todo alheado... Há semanas que não falamos...

polegar disse...

lol é no que dá eu não me embandeirar em arco... dou só umas pistas em código... [que, a uma certa distância, nem eu percebo ;)]

vá, cafezamos um destes dias e tratamos de actualizar a vidinha :)

mississipi disse...

devem ser gostosas as caminhadas por uma cidade de vento frio... por aqui, o calor é quase sempre escaldante

Astor disse...

um beijinho...e parabéns :)

*

menina limão disse...

:)

(bonita a foto)

(aos fantasmas de bolso)

macaso disse...

Parabéns minha querida!!