quinta-feira, 10 de julho de 2008

acordaste, Lisboa?

tenho-me queixado frequentemente que a Baixa está moribunda. por falta da dedicação de... todos. falta-lhe uma pulsação própria fora do horário de expediente. falta-lhe gente que a viva. e também me queixo das pessoas, da apatia, do comodismo, da falta de vontade de sair dessa modorra que assola tudo e todos. da mania de se queixarem e de não se mexerem para fazerem o que querem. da incapacidade de se unirem no que realmente interessa. da incapacidade de se levarem menos a sério e de se entregarem mais uns aos outros.

ontem ouvi falar nisto. já conhecia algumas iniciativas dessa maravilhosa arte urbana do improviso com multidões, da espontaneidade deliberada em cheio na testa do quotidiano, a que se chama flash-mob. e quis fazer parte.

armada em agente infiltrada, com o rádio sintonizado na antena 2 e uma câmara na mão, fui ver como era.
e dei por mim submersa.
e soube bem.

soube bem porque à minha frente eram velhos e novos, deitados no chão a ouvir as trepidações dos passos. deitados no meio do chão. a sentir as reentrâncias das pedras que pisam a caminho de casa. estavam mornas, as pedras, mornas, com rugas, macias e polidas como pele humana.
andar de olhos fechados, sem medo de chocar, sem pensar no jantar mais logo. a rodopiar, sim, senhoras bem postas de salto alto a rodopiar, tão tontas como as donas de casa que rodopiavam mesmo ao lado.
estátuas, vivas, com o gesto que queremos que seja. faço eu, fazes tu, tira-me uma foto para não me esquecer que era isto que eu queria hoje.
colar-se aos vidros das montras, está fresco, e os reflexos, "olhe desculpe, o meu rádio deixou de funcionar, dá-me uma ajuda que eu estou-me a divertir tanto".
a cumprimentar-se sem se conhecerem, a tocar-se, as pessoas tocaram-se. e era isto tudo que eu lhes queria explicar, que é bom tocar, trocar, entregar, receber.
a correr rua Augusta abaixo, velhos e novos. os velhos tão entusiasmados como os novos, os novos tão compenetrados como os velhos, esquecem o vizinho que chateia com a música alta e esquecem a consola, esquecem as contas, o empréstimo, o sono, só um bocadinho. era isto, era isto.
dançar ao som de uma música que só nós ouvíamos. dançar, em bailarico, passos lentos, passos enraivecidos, está sol, estou vivo, e bater palmas - essa foi a verdadeira revolução, o motim às palavras da rádio, ninguém mandou bater palmas, mas isto de dançar sem bater palmas é maldade.

e os olhos, os olhos de quem não tinha rádio divertidos, confusos, deliciados. porque é estranho, é de loucos, é mesmo disparatado. mas estamos juntos, não nos conhecemos, tocamo-nos, rimo-nos, esquecemos, fazemos o que pensámos "um dia eu faço", vemos o céu deitados no chão porque parece uma boa sugestão.
e é.
brincar, simplesmente brincar. sem pensar no que estarão a pensar.

sim, era isto. era disto que eu falava. este é um outro sabor de liberdade.



video editado por mim, [quase toda a] imagem de espanta-espíritos
pedimos desculpa pela falta de qualidade, mas ainda somos amadores no rendering de videos...

11 impressões digitais:

MPR disse...

Oh xim... Quem me dera ter sabido...

Manel disse...

Muuuuito bom!

Então estiveste mesmo nas minhas costas e não dizes nada, magana?!...

espantaespiritos disse...

polegar: esta "reportagem" de dentro da "coisa" foi por vezes de loucos mas deu um video catita :)

manel: se ela te dissesse qualquer coisa soaria assim: aie a minha asma... argh.... estou a sufocar.... aieeeeeeeee... lol

polegar disse...

mpr: ias divertir-te à brava... mas pode ser que haja mais disto... fazia falta :)

manel: estive, mas é como diz o espanta... quando me cheguei ao pé de ti na passadeira, vinha a correr desde o início da rua Augusta. no vídeo original, só se ouve "ai, não me aguento" "asma" "arde-me tudo" "por dentro"... vi-te mas não conseguia articular ;)

espanta: temos de fazer isto mais vezes eheh
quem sabe, fazer "telediscos" para eventos, que o da rtp tá pobrezinho! ;)

Miss Lou Monde disse...

Oi, sou do Brasil! Passando por aqui... me sinto na obrigação de deixar minha impressão... fiquei simplesmente encantadíssima com seu blog! Oh... e aquele post sobre os quadros que Monet pintou para você... sem saber...
Lindo, lindo! (Muitos suspiros)
Voltarei sempre...

intruso disse...

:)
tb apetecia ter feito parte!
(pena não estar por Lx...)

[para o "acordar" serão precisos mais flash-mobs e outras coisas que tais, digo eu...................]


bj

Rodrigues disse...

Que pena eu não ter sabido disto a tempo...

Está lindo! :)

colher de chá disse...

oh querida! e eu que vivo ali tão perto, não sabia da iniciativa, senão tb tinha ido! para a próxima avisas-me.

:)

BEIJOS

polegar disse...

é engraçado, as pessoas que vivem no centro é que quase não deram por nada... :P

miss lou: volta sempre :)

intruso: claro que é preciso mais. mas tem de ser aos poucos... senão há overdose lol

Cidadao Kapa disse...

100%

Astor disse...

muiiiiito gira a iniciativa!

e o filme tá muito porreiro! parabéns aos 2 :P