quinta-feira, 29 de março de 2007

the fallen

momento de pressão extrema, com formulários electrónicos demoníacos, currículos idiotas, protagonistas idiotas, textos idiotas, um projecto incoerente inventado em cima do joelho, os responsáveis pelos mesmos a quilómetros [e continentes] de distância, conversão de textos de reivindicação política pseudo-esquerdina do género "vocês são uns vendidos e eu quero mais é que vão levar no rego" em polidas declarações de "ó por favor dê-me lá o dinheirinho que eu quero fazer uma pecinha freak".
o corpo com demasiados meses de serões de revisões de texto, traduções e dobragens em cima, já suplica piedade e eu tenho de suplicar-lhe que não ceda... já.
nesse momento, cai uma das poucas coisas que ainda me incluía. que ainda me dava gozo.
talvez em Outubro. a recibos verdes, sem segurança social, a receber o recebo, talvez já não esteja cá em Outubro. [essa era a maior ironia.]

mas o concurso, não te esqueças do concurso.
argh... you could have it so much better...

puxo o volume aos Franciscos Fernandos enfiados quase até perfurarem os tímpanos e simulo uma bateria transparente. porque não posso usar uma bateria aérea...
e suspiro por um serão de wine in the afternoon.

5 impressões digitais:

espantaespiritos disse...

seja um serão de "wine"...
o resto (lamentavelmente) não posso ajudar.
só solidarizar-me.

polegar disse...

let's fade together?

preciso de um rapto.

angel_of _dust disse...

amiga polegar: tb eu tenho os impressozinhos demoníacos à minha frente. este ano, chegou a era digital. mudança só do creme, porque o conteúdo é o mesmo: é mais importante um conjunto de balelas que inspiradamente (ou não) se inventa à pressa que o conteúdo artístico.

enfim, refilamos mas não podemos (por enquanto) passar sem eles. e eles sabem bem disso...

Anónimo disse...

aiiiii que tenho uma panela de pipocas quase prontas dentro da testa e não as consigo tirar!!!!!!!!!!!!!!
A era digital...quando esta m£#&%$§ funcionar como deve ser eu até sou capaz de gostar...hoje...não consigo!

B.

polegar disse...

a ideia base era engraçada. se cada acento não se convertesse em mil caracteres estranhos, se não crashasse de 5 em 5 segundos, se não estivesse inacessível a tarde toda, se os filhos da puta atendessem os telefones em vez de beberem cafés a tarde toda e saírem às 5.
para eu lhes dizer que EXIJO UMA PROLONGAÇÃO DO PRAZO PORQUE SÃO UNS INCOMPETENTES!