sexta-feira, 30 de março de 2007

I.A. iá, yeeehaaaa


cortesia espanta-espíritos

para quem não está enquadrado: o I.A. é o instituto das artes. são os senhores que dão os subsídios, vulgo dinheirinho, aqui aos pobres dos artistas. para a droga e assim.

uma vez por ano [excepto aquela vez do "ah e tal, esqueci-me"] abrem concursos para o pessoal mandar um projecto para uma peça. se eles gostarem do projecto, dão dinheirinho. se não, lá têm as suas razões. mesmo que se ameace com tribunal, o IA não se engana.

apesar de os apoios irem parar quase sempre aos mesmos [se bem que com outros nomes, e para isso vai uma menção honrosa, nem todos conseguem inventar tanto nome seguido], os senhores estão a tentar acompanhar os tempos. e por isso foram evoluindo.

dantes entregavam-se 5 calhamaços com todos os quês, comos, porquês, currículos, objectivos, articulação dos objectivos com os objectivos do I.A., metodologia dos objectivos, unhas encravadas do objectivos e... iada iada iada. resumindo, uns bons 10 kg de papel.

depois resolveram que queriam em cd. giro, dá jeito. mas na mesma acompanhado das 5 cópias em papel...

no ano passado, ah pois é, acharam que umas companhias ficavam em desvantagem porque não dominavam a arte do design gráfico e tal, e portantos pois que criaram uns formulários de formato fechado. não há cá privilégios, não há cá fotografias, não há desenhos, capas bonitas, esquemas de cenário nem mariquices dessas, que a gente das artes tem de se dar ao respeito e ser todos iguais, assim prá esquerda benetton. até porque já se sabe que a gente das artes é assim suja e feia e desgrenhada e veste-se toda de igual. vai tudo despejado para dentro daqueles campos, letra em corpo 9, times, e... e pronto. e não se armem em espertos a remeter o pessoal para os anexos, porque chumbamos o projecto.

este ano, entraram na era informática. agora é tudo virtual, digital. insere-se o projecto nos diversos campos, no site dos senhores. lindo, não é? pois. não. é que os campos devem ser de pasto. não reconhecem acentos nem cedilhas, nem símbolos [fantástico, parece mesmo que estamos no estrangeiro], o site crasha quando estamos a carregar os dados e simplesmente passa tardes inteiras inactivo.
os senhores do I.A.? iá, tá-se bem. não atendem telefones. extensões ocupadas. dá jeito, porque senão a turba reclamava e pedia um prolongamento do prazo...

aqui fica uma sentida homenagem a todos os que estão neste momento a queimar as pestanas. ou simplesmente a tentar entregar os seus projectos.
r.i.p. r.i.p. hurra...

post scriptum: muahahahah... vão mesmo prolongar os prazos, visto que o site está crashado desde as 3 da tarde de ontem...

17 impressões digitais:

intruso disse...

lol
[alguém aqui no msn estava-me a contar isto mesmo... a queimar as pestanas]

Miss keatch disse...

Viva a arte minha cara... E viva o IA Todo Poderoso que nos protege de nós próprios quanto tentamos fazer arte! Viva o teatro, a música, a literatura e os mais que afins; e todos nós pequenos cabrões masoquista que ainda tentamos fazê-la e que continuamos estoicamente a oferecer o nosso corpo em sacríficio!!! R.I.P. RI.P. HURRA!!!

polegar disse...

intruso: eles "andem" aí ;))

miss keatch: agora é que acertaste- "protege-nos de nós próprios quando queremos fazer a arte". é que já se sabe que a arte faz mal à saúde eheheh...
bem, agora só ao fim da tarde é que sabemos se temos de estragar o fim de semana a inserir os dados.
a pergunta no ar: será que vão ao menos prolongar os prazos consoante a capacidade do servidor deles? ou vai ser só prolongar porque sim e que sejam sete cães a um osso...?

Barbara disse...

Fantástico texto, como sempre, mas não posso concordar com tudo o que afirmas, e cá está uma "prova" de que a "verdade" não é igual para todos.
Há 2 semanas que o site está activo, (ok, devia estar há um mes, mas está há duas semanas!) e portanto nós como bons portugueses começámos a introduzir dados nessa altura...claro que não!! Toda a gente o começou a fazer ONTEM! (Eu, por acaso, ou por não me apetecer stressar, ontem já só queria acabar e conferir, mas nem isso consegui!)
E os senhores que trabalham no IA, são trabalhadores amiga, e até são gajos porreiros, bem,pelo menos têem me atendido e respondido a todas as questões, aliás até já ligo para lá só para desabafar! Naquela de "amiguinhos" tás a ver?
E estou a falar dos trabalhadores e não do juri, portanto não é por ai que vou ter mais ou menos pontuação!!

Bem e agora vou ver se já consigo introduzir o resto dos dados, porque já tenho tudo feito e não me apetecia nada que isto prolongasse pois só me prolonga a preocupação!

Beijoca Grande, B.

as velas ardem ate ao fim disse...

Realmente são fantasticas as Instituições Publicas...

bjinhos e bfs

polegar disse...

B: a nível das pessoas que realmente nos atende, são simpáticos e tão eficazes quanto o sistema os permite. mas, como tu e eu sabemos, são as caras e quem nos ouve as queixas(quando não está impedido e tudo em broa). o problema está mais acima. desde a antevisão do desastre ao desastre em si. porque o sistema crashou ontem e só se dignaram a dizer qqr coisa sobre o assunto há pcas horas atrás... mas antes deste já houve alguns dias em q o sistema esteve em baixo.

o sistema tá activo há duas semanas, mas no meu caso a primeira, para mim, foi habituação. ver o q era preciso e como é que podia encaixar as coisas que queria dentro das limitações. muito telefonema para tirar dúvidas, sim, mas nem sempre me podiam ajudar.

e o facto de se deixar tudo para a última... epá, não sei. eu tenho o meu encenador em Angola. trabalho tão rápido quanto (mais uma vez) o sistema daqui me permite. por mim a candidatura já tinha entrado. mas cada um tem as suas justificações.

e eles têm muitos anos de filas à porta no último dia para saberem melhor que isto. podiam (era o que eu faria), se queriam sistema informático, ter feito uma estimativa de quantos utilizadores seriam necessários para estourar com o servidor ANTES de isso acontecer. e tendo isso em conta, tomar as devidas medidas, prepararem-se para a crise do último dia. no ano passado não chegaram a 200, as candidaturas. não é assim tanto.
por exemplo, podiam fasear as candidaturas. neste momento, já que se parte do pressuposto que toda a gente já tem a candidatura pronta e só está à espera para inserir os dados e ir descansada de fim de semana, mais valia fasearem a introdução de dados, permitindo a apenas x utilizadores por dia o acesso...

Anónimo disse...

Sim, sim, tudo certo, há maneiras de se evitarem certos erros!
E já podiam ter aprendido com os concursos dos professores, onde este ano já foi por ordem alfabética, exactamente pela mesma razão!

Mas achas mesmo, MESMO, que toda a agente tem tudo pronto á espera de Apenas introduzir dados?....

B.

angel_of _dust disse...

epá, admito que o que, um dia, me dará maior prazer será dizer: candidatura dos pontuais? ahh, não... já me deixei disso, sou auto-sustentável. LOL

o problema não é tanto a era digital - o problema é nunca perceber queal a filosofia, quais os critérios (mm que os afixem interneticamente, estão longe de ser claros), não perceber a subjectividade e os padrões os júris (no ano passado, o "meu" projecto terá sido prejudicada por ter gente c mta experiência mas outros nem tanto, enquanto o projecto de um dos delfins do j. mota foi valorizado por envolver malta experiente e novas apostas do teatro português LOL).

enfim... como disse ontem, nós é q precisamos deles. até pq estes processos não ajudam a ganhar eleições, nem sequer interessam ao "comum dos mortais".

dix it

Anónimo disse...

olhem lá... eu tb estou a preencher isto - tirem-me uma dúvida:

este ano já não existe um quadro com NOTAS EXPLICATIVAS do orçamento?

polegar disse...

B: eu tenho!!!! e já é cá uma vitória! e já tinha ido de fim de semana se não estivesse agora a introduzir os dados e aquilo a dar-me erroooo! aieee!
e não me deixa imprimir! duplo aieee! :S
olha lá... agora que penso nisso... eras tu que estavas a desabafar com os senhores e mantinhas a linha entupida... hummm :P

angel of dust: ah pois é. nós precisamos deles e eles sabem e gozam com a gente.

anónimo: não. mas acho que podes aproveitar-te disso nos restantes campos (apoios, plano de comunicação e, CLARO, observações ;)) é dar-lhes a volta como podemos!
muita merda!

Daniel Aladiah disse...

Há mais vida e público para além do I.A. Sei que é difícil, mas que tal tentar ser independente desses subsídios? Se vierem, muito bem, mas talvez valha a pena conquistar público (e outros patrocinadores) para continuar...
Um beijo
Daniel

Nuno West disse...

lol...

Polegar...a eterna heroína e defensaora dos fracos e oprimidos.

Sou um humilde servo do teu exército.

Kwan disse...

Menina Polegar, queria avisa-la do meu novo blog e dizer que conto com as suas visitas e comentarios de incentivo! :)
Nao encontrei aqui nenhum endereço de email...

Anónimo disse...

O teatro é a arte mais burguesa que existe, e ainda por cima custa muito dinheiro aos contribuintes para meia duzia de pseudo actores frustrados chamarem arte às merdas que fazem e alimentarem a sua vaidade, deviam cortar todos os subsidios assim acabavam com muita gente que anda por aí à espera de fama e queria ver quem é k lutava por trazer Arte e Cultura às pessoas que não podem pagar 15 euros por um bilhete de teatro. Se querem fazer alguma coisa de jeito levem o teatro a quem realmente precisa e essas pessoas não estão em Lisboa nem no Porto e façam-no gratuitamente e sem subsidios. Isso sim seria uma atitude louvavel. Morte aos pedantes. Acabe.se com a vaidade e os pseudo actores. Don´t Act. Live!

polegar disse...

caro anónimo... nem sei o que te diga. andas a leste do paraíso. quem quer encher o ego, vai para as novelas. se me disseres que há umas quantas companhias a fazer coisas para os seus umbigos e sem querer contar realmente nenhuma história ao público, estou de acordo contigo. e até posso concordar contigo se disseres que algumas delas se enchem com dinheiro do estado, sem ter de justificar grande coisa a ninguém.

mas agora outra coisa. um actor é tanto profissional como uma pessoa a servir às mesas. merece receber um ordenado ao fim do mês. trabalha. muito. não espero que saibas o trabalho que implica fazer teatro. nota-se que não fazes ideia. não sabes o que é trabalhar durante 4 meses 16 horas por dia para fazer um espectáculo acontecer e no fim vires para casa com 300 euros no bolso. não é no fim do mês, é ao fim dos 4 meses. ou simplesmente, ao fim dos 4 meses, teres apenas na mão, fruto do teu trabalho, o suficiente para ires beber uma cerveja com a equipa.

vais ao café e pagas a sandes? vais ao cinema e pagas o bilhete? vais à loja e compras os teus ténis de marca? para veres uma peça, tens de pagar o produto. e exactamente por haver gente como tu, que acha o teatro uma coisa menor, os preços são altos e pedem-se subsídios.
e se tanta coisa neste país recebe dinheiro do estado, acho que o serviço público que é fazer bom teatro merece tanto como outros serviços. juízos de valor quanto à qualidade à parte.

e já que és tão generoso para o povo, convido-te a dizeres ao teu patrão (ou paizinho) que prescindes do dinheiro que recebes ao fim do mês. trabalha de graça.

volta sempre.

Anónimo disse...

Trabalha de graça e vai para longe do Porto ou de Lisboa, oferecer o teu trabalho ás comunidades!! Sejas tu, caro anónimo, advogado, canalizador ou merceeiro, também tu podes viver de borla e oferecer o teu trabalho, como eu faço! Eu trabalho em teatro e faço digressões pelo país profundo, OFERECENDO teatro, e não um espectáculo qualquer, mas sim espectáculos curriculares para as escolas. E os professores agradecem, e os alunos divertem-se e sem sequer darem por isso ao fim de uma hora e meia já sabem aquela matéria, e os pais surpreendem-se e agradeçem, mas ao meu senhorio não lhe chega eu dizer que tenho imensos agradecimentos e sorrisos para lhe pagar a renda, não sei porquê nunca percebi... mas ele quer mesmo em euros! E no supermercado também nunca consegui pagar as compras do mês com todos os sorrisos e abraços de satisfação das crianças dos bairros desfavorecidos a quem OFERECI o meu trabalho durante meses a fio... é triste, mas enquanto não houver consciencia que a EDUCAÇÃO é a base de TUDO e que a cultura faz parte dessa educação, então continuaremos a ter pessoas a pensar apenas no seu umbigo, como tu caro anónimo, e pessoas como o meu senhorio e os senhores do supermercado!!

Assinado: Bárbara Rocha

colher de chá disse...

que troglodita este senhor anónimo... não tem mesmo ideia do que fala. é assim, a ignorâcia fala sempre mais alto.

queridas B e Polegar: subscrevo tudo.

querido anónimo: acreditas que estou há 4 meses a trabalhar para um espectáculo, invariavelmente até à 1h da manhã, TODOS OS DIAS (não, não há cá fins-de-semana ou dias de folga ) e provavelmente vou receber uns 20 euricos. Não, claro que não acreditas. Tu sabes lá alguma coisa. Pena. Muita pena tenho eu de ti.