terça-feira, 4 de janeiro de 2005

ressacas

não havia confettis.
poucas pessoas, as suficientes para fazer barulho sem irritar ninguém. e uma miúda amorosa a quem se tentou roubar a mesinha. só uma pessoa levou música, pelo que se passa a noite toda com a mesma banda sonora. amena cavaqueira, comidinha da boa, leva-se uns bolos e uns sumos para ajudar. um dos fondues pega fogo.
espera-se com a Júlia Pinheiro pela meia-noite, em cima de uma cadeira. grita-se, beija-se os amigos e recém-conhecidos, deseja-se tudo de bom. a miúda usa, finalmente, as tampas de tachos que trouxe consigo e que guardava religiosamente no sofá ao pé da janela.
quando o ambiente amorna, e o efeito do vinho alivia, vai-se a outra capelinha, a casa da M., e joga-se trivial até se adormecer em cima dos cartões com as perguntas.
passou-se bem, este ano.

4 impressões digitais:

Alien disse...

o meu ano também se passou com fondue... e com Trivial... só a Julia Pinheiro é que não. Mudámos de canal pouco antes da meia-noite para não passarmos o ano a ver a Quinta (decisão que teve alguns protestos mas, como vivemos em democracia, não ligámos puto). Preferimos antes passar o ano com a contagem da Super Bock (que ninguém percebeu que era a contagem DEFINITIVA)

enfim.. riso, beijos, abraços, amigos, uma avenida deserta a fazer eco e eu a gritar bom ano novo sem ninguém refilar ou chamar a polícia.

Também se passou bem o ano. Que venha 2005! e que quebre a "minha" tradição com anos impares :S

Cientista disse...

Não tive fondue, escolhemos lasanha caseira... mas o Trivial é um must!

polegar disse...

Caro cientista: volto a dizer: quero ir ao teu blog retribuir os teus comments mas não consigo acesso!!!!!! Vá lá, dá-me o endereço... ;)
Alien: ;)))))

Mil beijos e bom ano aos dois

Nuno disse...

O trivial é sempre essencial, mas eu este ano foi mais monopoly :)