sexta-feira, 26 de maio de 2006

VII


o carro

[movimentos redondos. as rodas a girar. não. música? não. não é isto. sentir o chão. sim. focar. em frente. desfocar o resto. não parar. a alcatifa queima. não parar. vento, tem de haver vento. abana as mãos. e quando chegar ao fundo? logo se vê. bate lá. não avança. não pode parar. gira a cabeça, o corpo segue. recto. recto. abana as mãos. tem de haver vento]

- olá. posso falar contigo?
- olá. queres boleia?
- posso ir contigo?
- podes, anda.

[sentes o vento?]

- como te chamas.
- já não me lembro.
- onde vais?
- não sei, mas tenho de ir.

[estou a chorar, não vês? é do vento. é do vento]

- estou à procura do verde. disseram-me que era para aqui.
- o verde? já vi tantos. qual deles?
- o verde.
- já passei por ele, mas não me lembro onde.
- oh, que pena. sabes, conheci a lua.
- ai, que bom, muita companhia me faz...
- também a conheces?
- não pessoalmente, mas passo muitas horas com ela.
- tu não páras?
- não. não posso.

[dói-me. há quanto tempo estou nisto? não te vejo a cara. não vejo as caras. no entanto não fecho os olhos]

- porquê?
- porque tenho de lá chegar.
- onde?
- não sei, mas tenho.

[ali ao fundo, o sol no terraço. mas as pernas recuam, a cabeça gira e o corpo segue noutra direcção. o vento na cara. o sol fica lá atrás]

- tu tens amigos?
- não sei. mas já dei muitas boleias, encontro muita gente.
- como se chamam?
- não sei, falei com tanta gente.
- e onde estão?
- oh, isso não faço ideia. eles só vêm comigo quando precisam de boleia. depois vão à sua vida.

[não me perguntes se sou feliz. choco no espelho, apetece-me continuar em frente. cabeça roda e fixa outro ponto. as pernas seguem]

- bem, tenho de ir à procura do verde. gostei muito de falar contigo.
- eu também. boa viagem.
- boa viagem

[não sinto os dedos. não posso limpar os olhos. o sol?]

o carro simboliza avançar na direcção de uma meta. conquista e êxito. está na hora de pôr-se em marcha e deixar de vacilar. indica que existe um caminho e que tem de avançar com confiança, calma e segurança, apesar das dificuldades que apareçam [...]

4 impressões digitais:

espanta_espiritos disse...

o sol, a liberdade, a fotosíntese... precisas disso...

macaso disse...

Des-viagens, des-alentos, des-coloridos. E por um toque de mágica tudo se transforma.
Olá queria polegar.

macaso disse...

querida querida querida querida

polegar disse...

espanta: verdade... mas é melhor sem mosquitos ;)

macaso: transforma, sim. é a forma como se encara as coisas que lhes muda as cores...