sexta-feira, 25 de maio de 2007

pipocas?!

esta noite fui ao cinema. ver um filme que não interessa ao caso. nem interessa de maneira nenhuma. adiante.
chego cedo, estão a começar os anúncios. subo quase até lá acima para encontrar uma fila vazia. quando a percorro para me sentar o mais ao centro possível, reparo que está uma senhora na fila de cima com os pés descalços - em alvas peúgas - assentes nas costas da cadeira. ignoro-a e sento-me. ela fica ofendida por lhe ter abanado o encosto para os pés e muda de lugar mais o seu querido.
acomodo-me e fico à espera do filme.
o filme começa e quando ainda estamos a decorar o nome das personagens, vejo um senhor sozinho a subir pela coxia à procura de lugar. achou que na minha fila é que se estava bem, sentou-se a uma cadeira de mim. trazia um gelado, que ia comendo sem fazer grande barulho. o filme tinha partes com graça, e ele lá se ria e dizia baixinho "ai, ele agora esteve bem" e batia na perna. mas dizia baixinho e eu tudo bem. lá para o meio do filme, aquilo engonha um bocado e começam os silêncios. penso que agora ou se dá um bom twist ou um twist à típico filme americano - que era o caso - e entre o som das minhas cogitações e das vozes dos actores, surge um outro som peculiar. de chupar qualquer coisa. com muita saliva e pequenos estalinhos. penso "mas o velho ainda estará a chuchar o pau do gelado...?!". ignoro. não ignoraria se estivesse a alguém falar com alguém, a falar ao telemóvel depois de o deixar tocar alarvemente, a comer de boca aberta, ou aos pontapés à minha cadeira - coisas corriqueiras com que embirro mas que não estavam a acontecer, nesta noite em particular, à minha volta.
o que estava a acontecer era a subida de volume dos "chups chups" do senhor. até que olho para o lado. no preciso momento em que ele está a tirar a cremalheira de dentro da boca e a passeá-la pelo ar. rebolei-me toda ali [em silêncio], mas ele não deve ter reparado que reparei e continuou a meter e a tirar o estupor da placa da boca. tossiquei. ele lá meteu aquilo para dentro, mas continuou com uns discretos "chups chups" filme afora. até chegar à penúltima cena e sair, antes de acabar o filme.

o mundo está de pernas para o ar, de peúgas brancas, a tirar próteses dentárias da boca.
as pessoas queixam-se... das pipocas?!

7 impressões digitais:

espantaespiritos disse...

muita sorte tens tu em não estar a senhora a meter e a tirar os pés da boca, e o senhor a pousar a placa nas costas da cadeira...
pera... vou ali vomitar as pipocas que comi com grande estardalhaço e já volto...

polegar disse...

LOL
belheque!
passa aí o alka-seltzer eheheh :))

Daniel Aladiah disse...

O pior é mesmo os pés em cima das cadeiras da frente, o empurrar, o bater... eu passo-me, que falta de respeito! Lembrar-me que, antigamente, ninguém se atrevia a falar alto, todos se vestiam melhor para ir ao cinema, e todos fumavam no intervalo :)
cada tempo, as suas coisas, mas sempre embirro quando as "liberdades" dos outros interferem com as minhas!
Um beijo
Daniel

pinky disse...

aiiiiiiiiiiiiiiii que nervos!!!! acho que já não me conseguia concentrar no resto do filme!!! arghhhhhhh

colher de chá disse...

e eu que ontem tb fui ao cinema (na cinemateca, entenda-se, sítio distinto ) e a senhora q estava ao meu lado arfava como quem está prestes a ter um ataques cardíaco...?! isso sim, foi incomodativo, quase assutador. ele há c cada um...

Peg solo disse...

podia ser pior... é por essas e por outras q prefiro cinemas calminhos. salas pouco concorridas. tenho hipersensibilidade a barulhos no cinema! ;)

João disse...

CREEEDO! Mesmo assim tiveste sorte...imagina lá que no ecrãn estava o Ricardo Trepa a "representar"... tinham que te tirar de lá a braços.