sexta-feira, 1 de junho de 2007

nota mental

fase de dúvidas e a facilidade de sempre em pôr-me em causa por causa dos outros. outros que não o merecem, mas isso nunca vem ao caso da minha auto-estima.
espiral decrescente, teia labiríntica que desagua na hipótese de fechar de vez a porta que o meu livre-arbítrio abriu e de cuja soleira, no fundo, nunca passei. aí impediram-me o raciocínio antes que eu sangrasse de vez as veias do sonho. felizmente existes. se não fosses tu, não seria mais ninguém. porque estás presente. e assim, como me pediste, fica para a posteridade. acima de tudo, para eu não me voltar a perder. venha o que vier.

sou actriz. dou voz a desenhos animados e documentários. até já ganhei 600 euros em 10 minutos. o resto são migalhas, possíveis porque eu tenho capacidade intelectual para mais do que um ofício dentro das palavras e da comunicação.

no meio do caos há sempre uma constante. e se tudo o que faço está em causa, lembraste-me que não me esqueça do que sou.


sempre com a[hu]mor . espanta-espíritos

4 impressões digitais:

espantaespiritos disse...

e és mesmo que eu já te vi trabalhar.
acredita :)

Daniel Aladiah disse...

Querida Polegar
Talvez te conheça a voz, mas não importa, pois conheço-te a escrita... e tudo se coaduna com seres alguém que merece o nosso aplauso! (não é o que mais conta?)
Um beijo
Daniel

intruso disse...

(o que escreves_ e como escreves_ por aqui devem ser uma pequena mas brilhante amostra das capacidades de que falas... sentem-se;
a voz não a (re)conheço, mas aposto que é excelente... quando falada, quando cantada...)

[... e os "outros" que se f.....]

em frente........................



abraço

MPR disse...

é giro ver as interpretações mais poéticas, mais sonhadas, de quem não sabe com exactidão do que estás a falar... :)