quinta-feira, 16 de outubro de 2008

do que há-de vir

a caminho do trabalho, um taxista pára para deixar a mota passar. dois tiochos daqueles que costumam ser pedantes e nem olhar para o lado [desses que aparentam não ter problemas de créditos, euribores, nem de combustíveis a julgar pela assentadura] abrem as alas dos espelhos - eléctricos - também para nos deixar passar.
ao telefone, massajam-me o ego profissional. duas vezes.
e, já em casa, um senhor da cabo liga a oferecer um desconto na factura mais telefone grátis durante um ano.
o namorido põe-se a arrumar as gavetas.
e isto. que não sei se ria, se chore.

e tudo faz sentido quando uma senhora no intercomunicador do prédio me pergunta se eu acho que Deus vai resolver o problema do aquecimento global e da bacarrota da Islândia.

mais descansada.
afinal são só sinais do apocaliptro...

8 impressões digitais:

Astor disse...

oh my god.

diz-me que aquele video do magalhães não é verdade... :S

polegar disse...

quem me dera poder...

MPR disse...

Ele há sempre os que alinham na palhaçada...

intruso disse...

'bacarrota'???

(risos)

[valha-me nosso Senhor jeobá]


bj
:)

Alien disse...

Estava com saudades tuas, pá! Não deu para matar saudades, pá! Para a semana rapto para um almoço, pá!

=)

polegar disse...

mpr: que este país tá cheio de palhaços...

intruso: e a Santinha da Ladeira, porque não?

alien: estou à espera!

miak disse...

Só queria simplicidade. Como sempre quis. E isto está cada vez mais confuso.

morfose disse...

É de ir às lágrimas...