segunda-feira, 30 de janeiro de 2006

pianissimo

hoje há casting na agência de actores/modelos/manequins/qualquer coisas aqui do lado.
mais um dia em que não se consegue ir à casa de banho porque estão entupidas com meninas a retocar a maquilhagem ou a despejar as 3 garrafas de litro e meio de água obrigatórias para a hidratação da pele e para a dieta. vejo os rosto jovens, muitos muito novinhos mesmo. meninas, na sua maioria bonitas, de peles de porcelana, pernas compridas, cabelos num apanhado casual, com pontas estrategicamente soltas, dedos compridos e unhas impecáveis, roupa da moda em que, apesar de encasacadas, ficam lindas e nunca parecem chouriças com andar de pinguim...
meninos altos e atléticos, de folhas na mão, sorrisos de aparelho acabado de tirar.
meninos feitos à imagem e semelhança do mercado que pré-formata o nosso consumo. meninos mesmo dentro dos padrões que vendem ou se compram ou sei lá o quê, independentemente do que vai dentro da cabeça.
olhares de esperança sabe-se lá em que futuro...

tenho um casting [noutro sítio] e devia sair para lá daqui a meia hora. o meu cabelo está num só nó, apesar do brilho. tenho roupa quente de todos os dias que me engorda e botas de montanha. não tenho um pingo de base para disfarçar as olheiras. as unhas já se foram há semanas, entre falhas, ferramentas e nervoso. não há "charme natural" [ahahahah] que me valha e reparo que a motivação já não é a mesma de há uns tempos. falta-me qualquer coisa... talvez a inconsciência e o sentido de aventura que me permitiam jogar com a auto-estima de outra forma.

... ai...

10 impressões digitais:

macaso disse...

Não digo que não ache uma certa graça a esses meninos e a essas meninas...exactamente porque fazem lembrar anúncios de gente perfeita. Mas tem piada porque os homens e, principalmente, as mulheres que me fazem olhar duas vezes quando passam, não são assim. Chamemos-lhe personalidade, carisma, estrelinha, what ever. Tu tens essa áurea. Sim...porque eu já te vi. Sabes...tenho uma linda foto tua e da Colherzita, num entardecer de Lisboa. Quantas vezes é preciso dizê-lo para que acredites? A maturidade não é inimiga da inconsciência e do sentido de aventura. Às vezes andam de costas voltadas mas também podem ser muito cúmplices. E a auto-estima a partir dos vinte e seis anos e meio aumenta exponencialmente. Basta acreditares. Vais ver...vais chegar aos trinta com um je ne sais quoi de fazer inveja as meninas de quinze, ou mesmo de vinte. Beijos.

...ui...

miak disse...

Então vamos lá a isto...

Tu...

Espera. Eu ia fazer um discurso, mas não preciso.

Tu és linda!

espanta_espiritos disse...

muita merda...

pinky disse...

se te faltar algo, é a inocência que esses miúdos têem, mas de certeza que essa inocência foi substituída pela expriência! essa expriência vale ouro! confia em ti, tu consegues, vais vêr! bjkas e mta merrrrrrrrr.......a

polegar disse...

oh meus amores... tanto calor que encheu esta sala agora... muito obrigada...
faço apenas um reparo: falo no sentido comercial, no sentido de saber que a minha imagem, por muito agradável que possa ser aos olhos das pessoas, não é a imagem que vende, portanto continuo sem saber porque me sujeito a estas provas idiotas...

mas fui! eu fui! que é para não me dizerem que não tento ;)

Linha Recta disse...

Eu sou uma chouriça com andar de pinguim. E então? Alguma coisa contra??

angel_of_dust disse...

e quando somos nós que estamos do lado do inquisidor?
que devemos buscar em alguém que não conhecemos?
imagem?
currículo escrito?
empatia (verdadeira?)?

ultimamente tive que pensar sobre isto - a resposta? realmente, não faço a mínima ideia :P

polegar disse...

linha recta: eu sei, mas tu não te vais tentar vender para uma coisa de tv... lá está, eu espero uma linha de orientação entre noção de ridículo e continuar a tentar ;)

angel: hummmmmm... agora é que a disseste bem... do lado do inquisidor o que passará? esses que procuram uma imagem que venda bolachas e telemóveis e morangos? procuram a imagem? um dia numa entrevista sobre um filme cujo título agora não me lembro (para variar) diziam que tinham escolhido aquela modelo para protagonista porque tinha um olhar vazio perfeito... a minha dúvida era: uma boa actriz não conseguiria fazer o ar vazio que lhe pedissem? e a modelo escolhida... teria percebido a dualidade da observação do realizador? ele há coisas do camandro... eheheheh
quanto ao encontro entre pessoas... empatia... sempre! beijo e obrigada pela visita... long time ;)

Rantanplan disse...

Que se dane a "Nouvelle Vague".
Long lives Old School!!!!

polegar disse...

a old school também não é a minha... não andei no Conservatório... eu estou no limbo, aquele dos desempregados LOLOL