terça-feira, 10 de janeiro de 2006

thumbelina's law

uma colega teve um pequeno acidente. culpada por azar, porque o outro é que ia a abrir.
ouço-a a manhã toda, enquanto enrolamos cabos e espalhamos panos e aparafusamos, ao telefone com a mãe, que está na seguradora por ela.
de regresso ao escritório, ela dá-me boleia. chamadas insistentes de um número desconhecido. pára na berma e atende. do outro lado berreiro. touro com ascendente em virgem já se sabe... exalta-se, responde já sem paciência porque a senhora esposa do condutor telefona com acusações, depois de o próprio ter passado a semana a ligar-lhe com ameaças. desliga o telefone na cara da mulher e acende um cigarro. eu acendo outro e sorrio quando o telefone volta a tocar. estendo a mão perante a cara estupefacta da minha colega e atendo, piscando-lhe o olho e com uma longa inspiração. endireito as costas, traço a perna, voz colocada e extremamente calma. vou-me divertir...

- muito boa tarde.
ouço uma respiração como se fosse começar um ataque e ficasse desarmada.
- ... b-b-boa t-t-tarde...? estou a falar com quem?
- com a advogada da Dona M. presumo que seja a esposa do senhor com quem houve a colisão...?
- s..s...sim... - pequena recuperação, retoma o registo de berreiro - mas você é advogada o quê, hem? tou mesmo a ver, e atendia agora, se ainda agora falei com ela! dê-me já o seu nome, se é advogada! olhe que eu também tenho advogado!
- minha senhora, acredite no que quiser. por acaso, além de advogada sou amiga da Dona M. e estava no carro com ela e pude assistir à vossa conversa. não lhe dou o meu nome porque prefiro manter-me apenas como amiga da Dona M. até ao momento em que se verifique a necessidade de levarmos esta situação a tribunal, o que penso que seria um disparate, uma vez que me parece que apenas há um mal-entendido...
- pois, mal-entendido! o mal-entendido é a Dona M. ter carta, sabia? pessoas dessas a conduzir como é que se admite! nunca vi! escorregou-lhe o pé no tapete, tá bem! era só o que faltava!
- minha senhora, as condições em que aconteceu o acidente foram devidamente explanadas na declaração amigável de acidente. neste momento o que há a fazer é dar seguimento ao processo com as seguradoras.
- pois mas a Dona M. não meteu os papéis! ela pensa que nos engana mas não meteu, que eu sei, porque a minha seguradora já me deu os recados de que ela não meteu. e ainda por cima é malcriada comigo ao telefone, desliga-me assim e diz que não tem nada que falar comigo!?!
- como deve imaginar, minha senhora, é complicado para a Dona M. ter recebido toda esta semana chamadas do seu marido para o telemóvel pessoal com ameaças... especialmente depois de já ter tratado de tudo, conforme a informou... qualquer pessoa fica alterada e enervada com tanta insistência em acusá-la erroneamente.
- mas não tratou nada, então não sei que não tratou?! veio com conversas que tratava de tudo mas eu tenho os recados da seguradora em como não tratou, que eu ligo para lá todos os dias e foi o que me disseram! nós somos pessoas de bem, honestas e trabalhadoras minha senhora! - aqui, falava já em metade das rotações e eu já podia manter o telemóvel perto da orelha.
- somos todos, minha senhora. mas porque é que parte do princípio que a Dona M. não é? posso garantir-lhe que ela tratou pessoalmente de tudo, tal e qual lhe disse. eu acompanhei tudo. ela deu logo andamento ao processo. depois de receber o recado do seu marido, visto que estava a trabalhar, pediu à mãe dela para lá ir esta manhã e está tudo conforme os trâmites necessários.
- então porque é que...?
- minha senhora, o que se passa é muito simples. neste momento são as duas seguradoras que têm de tratar da situação. o que suspeito que esteja a acontecer, e não seria novidade, é que estão com algum problema burocrático ou de passagem de informação, e como sabe tão bem como eu, neste país, é mais fácil culpar o cliente que assumir a responsabilidade da empresa...
- p-p-pois... se calhar. hoje em dia é tudo assim...
- o que eu lhe sugiro é que passe a pressionar a sua seguradora, e, se quiser, a dela.
- pois... se calhar é melhor eu começar a chatear a seguradora em vez da Dona M...
- e não se esqueça que isto envolve muita papelada, demora sempre algum tempo a resolver.
- pois... olhe, então desculpe lá o incómodo, sim? desculpe lá. muito boa tarde.
- muito boa tarde para si também, minha senhora. cumprimentos ao marido.

12 impressões digitais:

espanta_espiritos disse...

:D

macaso disse...

E quem fala assim...

colher de chá disse...

assim é que é falar!!!!!! e q ng se atreva a meter-se outra X c a polegar heinnnnnn que leva logo uma rebocada educada destas! :D

miak disse...

Lindo! Linda!

Desta vez eras tu em cima do telhado...aguardando...de capa a esvoaçar...protegendo...

pinky disse...

cooooooool...tens a certeza que não te enganaste na escolha da profissão? olha que há muito tempo que não oiço ninguém com essa calma dar a volta a alguém.

B. disse...

Se não te conhecesse...admirava-me!
Mas não me admiro! É assim mesmo!

Beijo Grande, B.

polegar disse...

espanta: confessa, foi uma coisa beeem diferente das minhas habituais "vogais abertas" ;)
macaso: foi exactamente por a minha colega já estar histérica e a gaguejar de nervoso que pensei em brincar um bocado a ver o que saía...
colher: sabes perfeitamente que normalmente não sou beeeeem assim... começo logo a espernear. mas acho que estar com este novo patronato me deu uma certa vacina anti-decibeis... ai, quem me dera ter esta capacidade para resolver a MINHA vida... ;)
miak: proteger... opá, só resolvi tentar uma nova abordagem. somos todos pessoas, tenta-se partir do princípio que, apesar de alteradas e mal educadas, boas pessoas, né? o pessoal de cabeça quente normalmente só faz asneira. eu falo por mim! ;)
pinky:na altura da escolha do curso tinha acabado de ter um 200 no exame nacional de Direito... mas a comunicação falou mais alto... mas pelos vistos entre direito e psicologia, tive duas oportunidades de ser bem sucedida numa carreira... desperdiçadas LOL

polegar disse...

B.: e conhecendo-me não te admiras? agora admirada estou eu! :P

B. disse...

Pronto, agora vou ter de me explicar, de te elogiar e de me "denegrir" que era coisa que estava a tentar evitar!
Ora bem, é verdade que és uma pessoa impulsiva, que facilmente "dispara" em várias direcções, mas... também és uma pessoa com um grande sentido de justiça e ponderada e já presenciei (mais vezes do que gostaria, confesso!) esse teu bom senso em acção quando alguém mais IMPULSIVA, EXPLOSIVA, EXTERIÓNICA, CHATA, HIPER-PERFECCIONISTA (sim, pode ser um defeito!) e com uma caixa vocal MUITO BEM DESENVOLVIDA, se "passa"!

Houve alturas em que foste tu a "salvar" situações e foi com essa habilidade que agora também salvaste a tua colega!
Por isso, não me admiro!

E NÃO ME OBRIGUES A REPETIR ISTO!

LOL

B.

polegar disse...

sim senhora...

e... obrigada :)

wicahpi disse...

queria ter estado lá pa ver esta... lindo!! :p

. disse...

.