quinta-feira, 17 de fevereiro de 2005

despertares

acordei enrolada sobre mim mesma, com uma perna de fora, encharcada em suor, cabelo num nó espalhado na almofada, as mãos fechadas com tanta força que me custou a abriu-las, enrodilhada num edredon branco e numa manta azul turquesa.
a televisão (ainda) estava ligada...

3 impressões digitais:

Anónimo disse...

Onde é que estavas para veres como acordei???!!!

Também têm sido assim as minhas manhãs (e madrugadas!)

Beijos Enormes,
B.

Anónimo disse...

e há quem acorde de madrugada, perdida num sofá, todas as noites à espera de coisa nenhuma...
L.

polegar disse...

B.: vidinhas...

L.: há quem não tenha mais que fazer que não seja ter peninha de si mesmo.