quarta-feira, 21 de junho de 2006

noite



cheira a incenso. a velas. cera e cheiros e folhas queimadas. cheira a pele. cheira ao suor da terra molhada. e a terra molhada. cheira a brisa que traz restos de trovoada. cheirou a chá. açucarado como a saliva. como os olhos.

a cortina dança sozinha. sente-se a sua dança porque a pele arrepia. porque roça no chão em segredo. as outras janelas são fogos fátuos. e dançam também, aparecem e desaparecem conforme se vai à cozinha beber um copo de água, roubar uma bolacha.

os passos são pequenos estalidos. pés que colam e descolam do soalho. plantas que se desenraizam. suaves como um planar apenas quebrado pelo impulso de asas.

e o roçagar de pele. preguiçosa, lasciva, lenta. para receber a frescura que dança nas cortinas. que dance no corpo como sedas e cetins em dias de ventania.

5 impressões digitais:

espanta_espiritos disse...

"Uma coisa bela persuade por si mesma" [W.S.]

as imagens que crias com as tuas letras são lindas.
são perfeitas.
são doces.
és tu.

colher de chá disse...

:)

O Estranho disse...

Hum... primeira coisa que vem à cabeça depois de ler post: Nice legs!
segunda coisa que vem à cabeça: ah pois, sou gajo...

KLATUU o embuçado disse...

Eu passo por aí com o meu machado... e resolvo.
JAJAJAJA!!!

elisa disse...

Bela descrição do momento! É realmente nos olhos e no coração de quem observa que a beleza existe!
Beijinhos