quinta-feira, 23 de fevereiro de 2006

folias :: o rescaldo

o som é maravilhoso. já gostava, agora gosto mais. dos senhores, da força e balanço da música, da audácia dos convidados especiais...

de resto... bem, de resto a nota negativa vai unicamente para os convivas... é que ir ao lux é "bem", mas continuaram sem perceber porquê... havia com cada um... ora vejamos, enquanto ainda balanço ao som de "miúdo":

.: as tias de casacos de peles e ar-tão-pedigree que desceram logo que abriu o acesso ao piso da discoteca. não podiam perder pitada, mas parece-me que acabaram meio perdidas. ficaram à frente mas perderam a pose: sem perceber porque é que o peeling estava a derreter e a desfazer-se com a vibração e porque é que os cintos cheios de metal e lantejoulas as puxavam na direcção das geringonças que faziam som - esse som estranho que não tem nada a ver com a Casa do Castelo, vindo de pessoas a sério em cima de um palco...

.: os tios de fatinho, copinho na mão e a outra no bolso, que falavam da bolsa ao pé da entrada... deixaram cair o queixo ao chão quando entrou o primeiro "ente" estranho de cabeça rapada, túnica justa, lenço às bolinhas cor-de-rosa e bota alta... "aquilo é um gajo?"

.: o homem-tipo-bruno-nogueira-quasi-torre-eiffel que escolheu pespegar-se deliberadamente à frente de um grupo de gente com uma altura média de 1,62m [para o qual contribuo com o meu 1,58m]

.: a totó e o seu suíno que resolveram obstruir a visibilidade de toda a gente à frente de quem se resolveram meter... ele porque se achava macho dominador com direito a ver mais que os outros, com as suas mãos no "ponto de requebra" da menina; ela porque tinha um "cabeção" ralo mas comprido e crespo que atirava para cima de quem estivesse num raio de 50 metros nas suas tentativas de sedução do suíno. foram no engodo da festa "bem" mas não estavam habituados, coitados, a tanta gente e confusão e não percebiam porque é que as cabeças à frente deles não se baixavam. mas também não percebiam porque é que tiveram 4 pares de cotovelos espetados nas costas a noite toda... nem porque é que tanto o casaco foleiro do cavalheiro como a farta cabeleira da dama saíram meio chamuscados de cigarros... muahahahah... toda a saga aqui

entretanto divertiu-se quem foi lá pela música... portanto, eu diverti-me à brava... e sem adormecer... ;)

6 impressões digitais:

colher de chá disse...

ver: comment ao post anterior e comment ao post do espanta!! :)

Marco Ferreira disse...

é o que acontece às pessoas que têm muitas manias ou pior, que pensam que estão sós no mundo.

vou ser muito mauzinho e dizer que bem era o cabelo ter mesmo pegado fogo.

marinheiroaguadoce a navegar

pinky disse...

ainda bem que os cindy não desiludiram, o lux, bem o lux é sempre aquela base, para quem foi fã do frágil, nos seus tempos aureos, com gente intelegente, divertida e diferente, não aguenta as excursões de betos no actual lux.
não tenho nem nunca tive pachorra, as raras xs q lá vou é completamente arrastada e chantangeada, e passados 30 min estou de saída, divirto-me mais cá fora em amena cavaqueira com o chefe dos seguranças do que lá dentro a apanhar encontrões e a arrembentar com os timpanos com aquela música de matadouro.... bahhhh

polegar disse...

colher: LOL
marco: gosto ;) muahahahah!
pinky: eu não saio muito, por isso não sou muito esquisita. apanhas-me no Tóquio [ali ao Cais do Sodré ;)], como num barzinho do Bairro, como me apanhas no Lux. e apesar de a fauna ali estar cada vez mais afectada com os ares nasalados de Cascais, gosto de de vez em quando [ignorando quem é de ser ignorado] embrenhar-me na decoração maníaco-sofisticada, deixar de pensar e ser levada na batida desregulada daquele som...

macaso disse...

Quase, quase consegui lá estar. Eu não sou da capital, mas se fosse...seria mais Tokyo. Olha...conheces o Tocsin, no Bairro Alto?

polegar disse...

se calhar conheço, se callhar já lá entrei, mas não fixo o nome dos bares... sei de cor só dois ou três e de vez em quando até esses troco ;)