sábado, 15 de abril de 2006

o anúncio ou os desastres de polegar

para quem segue as minhas desventuras na tentativa de encontrar um lugar ao sol na área da representação, segue um lamiré da minha quinta-feira

8 da manhã na casa do Alentejo. ao mencionar "figuração especial", mandam-me subir. primeira falha da minha agência: afinal o "leva qualquer coisa mais formal" queria dizer fato de executiva... na sala de "styling" dizem que as minhas calças de ganga e blazer não têm muito a ver com jornalista [eu devo andar a ver os canais errados] e dão-me um fatinho cintado castanho e uma blusa justa de mangas à cava bege... ergh... as minhas cores preferidas. na casa de banho reconheço uma "colega de casting" e o alívio de ter uma cara conhecida ajudou a suportar as longas horas de espera. depois vejo chegar gente de calças de ganga e blazer que estão "óptimas"... go figure.

esperámos por ser maquilhadas - como nos tinham dito - e nunca aconteceu. da sala de espera víamos na maquilhagem as meninas que seriam as "Tochettes": uma loira nórdica de busto generosamente siliconado e olhar literalmente a leste; uma morena esguia muito bonita de rolos na cabeça, a stressar ao telemóvel.

esperámos duas horas. porque a morena "não sabia" que ia ter de usar calções curtinhos e top cavado. diz era despida demais. - eu não achei nada de escandaloso, elas têm corpo para isso, é por isso que são modelos, e se havia razão de queixa seria da loira, que dava mais nas vistas - de certeza que no casting já a tinham avisado, mas que fazer?... não se sabe dos pormenores, é certo que tiveram de chamar outra morena. aqui entre nós, esta púdica menina foi a que andava montada numa banana na capa de uma revista e respectivos toques jamba... go figure!

adiante. na hora de distribuir os adereços, calhou-me um micro. e a quem estava de calças de ganga, as máquinas fotográficas... aí fiz beicinho. havia uma fotógrafa de saia travada, casaco de ganga com gola de pelo e botas de crocodilo... go figure!

a minha chapa de identificação dizia "Francisco Azevedo". havia um brasileiro chamado Enfermeira Isabel... ainda troquei com ele umas impressões sobre a operação eheheh

ensaiada a primeira cena [um corredor de jornalistas tenta entrevistar o senhor doutor Tochas antes da conferência de imprensa], prepara-se tudo para gravar. reparo em dois tipos com ar de patos bravos ao meu lado que usam o telemóvel para fotografar o ensaio. a Tochette loira começar a ficar incomodada e aí percebo. estavam a levar recuerdos para as noites solitárias. ela queixa-se e o assistente dá o raspanete. no fim da gravação da cena, os tipos afastam-se a comparar as imagens gravadas. triste.

resumindo, entre cada cena eram horas de espera e chegámos à conclusão que aquilo foi tudo um desperdício de dinheiro: às tantas até turistas perdidos faziam figuração, mudavam as pessoas de sítio entre cada cena [o que dá uma continuidade fantástica], não sabiam se estavam a usar figurantes especiais [pagos para falar] nas cenas em que se falava, esperámos 6 horas de propósito para gravar uma cena... de costas... uma confusão.

outra falha da minha agência: "lá para depois do almoço estás despachada"... brincalhões, hem?

no fim de tudo, se aparecer a minha testa é uma sorte... nada mau para quem saiu de lá às 10 da noite...

entretanto falei com a minha agência: descobri que o pessoal agenciado por outros estava a receber o dobro. ora se estamos todos a fazer o mesmo... vai haver molho. baixou-me o santo e passei-me com eles. e ao fim da noite estava criado um sindicato que irá pedir satisfações para a semana...

a comida era do melhor: enchi-me de broa com queijo da serra, doces vários e cafés. os sofás da casa do Alentejo são confortáveis. o realizador tem um fetiche com loirinhas. o Tochas tem dificuldade em decorar as deixas e é mesmo avariado da cabeça. entra um cão na figuração, que é um querido. acabei por me dar com um grupinho de três "pernas-curtas", uma "perna-longa" e um "perna-longa". sim, que estipulei logo de manhã as discriminações de géneros físicos que arrancaram as primeiras gargalhadas quando completei com um "deixa estar, é só dor de cotovelo". durante o dia, dirigiam-se a mim com um "ó Francisco..." ;)

agora é esperar pela OPA! e mais não digo :)

5 impressões digitais:

Tubarão disse...

Da-se, que grande seca! Tens a minha compreensão.
Eu fiz uma figuração para o Pecado de Salomé e... jurei para nunca mais...

Tiago Francisco disse...

Desculpa usar este meio para falar contigo mas mandei-te uma mensagem pelo Hi5 e não obtive resposta. Gostava de saber se tu és a minha colega de carteira da preparatória...lol

Responde para fran99@net.sapo.pt

Palavras chave: Olival Basto, óculos, estojo cor-de-rosa.

pinky disse...

hummm parece-me que apesar das longas horas e de alguns momentos de seca, até te divertiste! e quem sabe se não não apareces em grande plano... boa luta sindical e muita me.......a! jokas

polegar disse...

tubarão: pois é, pois é... mas o dinheiro vale a pena, não me venham com coisas ;)

Tiago: bolas! grandes voltas q a vida dá! e 15 anos depois, cá estamos. sim, o estojo da Candy-Candy!! e os óculos! sim, sou eu... como vão as tuas canelas? ;)

pinky: foi cansativo, mas foi engraçado. não renego experiências... quase nenhumas, hem?tenho limites! eheheh beijocas

casual disse...

Ainda bem que foi na Casa do Alentejo,imagina se fosse no Colombo,durante todo o dia de Sábado.Confirmo os sofás são óptimos, a comida é indiscritível e o hall de entrada Mudejar é um espanto.

Beijos,se puderes passa no meu blog ainda em fase experimental.Casual06.blospot.com