quarta-feira, 19 de abril de 2006

serendipity



não se encomendava à sorte. gostava de saber que fazia tudo o que estava ao seu alcance. tinha sempre esperança que o esforço recompensasse. mesmo que falhasse, sair sempre de cabeça erguida com a certeza de que perdera por não ter mais para dar. fazer o seu melhor, mesmo nas coisas mais pequenas. não ficar à espera.
mas naquele momento em que os pensamentos lhe chicoteavam a cabeça, desmembrando o vigor da água do chuveiro na pele nua, à luz surgiam apenas sombras.
as lutas travadas sem rei, os trabalhos forçados e os dias perdidos, afastados do sol e dos sorrisos, em prol de um único objectivo. que não queria ter. que a roubava ao que realmente interessa. as coisas de facto tinham perspectivas estranhas na sua cabeça e não conseguia organizar as prioridades como os outros faziam. o normal sufocava-a. mas se procurasse ar ficaria sem chão. o dispensável e o indispensável, presos um ao outro por arneses que lhe estrangulavam a alegria de viver. o chorar ao domingo à noite porque depois é segunda-feira. o sentir-se substituível onde queria sentir-se querida. a responsabilidade e a frustração, dançando à sua frente de mãos dadas, mirando-a jocosas. a incerteza de um amanhã que nem sequer queria mas que se revelava uma estúpida tábua de salvação.

o cheiro forte da madeira, que entesourava junto das motivações e orgulhos, que invocava nos momentos de abandono, agora chegava-lhe vago e apodrecido.

sentia-se prestes a seguir o caminho da água que lhe tentava aquecer o corpo, mas não o espírito. afastou cheiros com o sabonete na pele, seguido de uma generosa dose de creme hidratante. afastou os pensamentos com uma melodia cantada para o eco da casa de banho, ignorando as 8 da manhã.
tinha de haver solução. era apenas uma questão de encontrar o fio à meada. não se encomendava à sorte.
no entanto, ao sair do carro essa manhã, pensou duas vezes antes de se afastar da cigana suja que lhe queria ler a sina.

7 impressões digitais:

pinky disse...

há-de haver solução, há sempre solução! é quando as nossas vidas estam assim, estagnadas, trazendo amargura á boca e tristeza á alma, que de repente tudo dá uma volta de 180º graus! deve estar para breve....

casual disse...

Hoje vi o arco íris, penso que quer dizer qualquer coisa. Passa no meu post do desabafo. Vais ver que isso passa;)

espanta_espiritos disse...

roda da fortuna.
conceito medieval que parece acompanhar toda a gente.
umas vezes para cima outras nem por isso.
como compreendo isso na pele.
estou lá.
nos altos e baixos.
conta com isso

polegar disse...

pinky: espero por ela. mas não fico quieta ;)

casual: já desabafei. obrigada pela oportunidade :)

espanta: a dizer-te tenho apenas que sei que estás aqui. sempre. e essa será sempre a luz de presença nas minhas noites de insónia. como espero ser sempre a tua. és a minha carta da estrela :)

B. disse...

Apesar da "distancia" (ainda tenho a tua prenda de Natal, e isso deve significar alguma distancia!!!) também estou aqui e sei o valor que tens!
Conta comigo!

Beijos GRANDES, B.

macaso disse...

Serendipity:

1- an aptitude for making fortunate discoveries accidentally

2- restaurant and general store in New York City, famous for its frrrrozen hot chocolate

3- romantic comedy by Miramax featuring John Cusack and Kate Beckinsale about the acts of good fortune which place us within destiny's magical hold

colher de chá disse...

posso reiterar os comments anteriores? ;)