quinta-feira, 30 de dezembro de 2004

entretantos

no ano novo todos fazem resoluções. que normalmente não cumprem. defendo que se deve lutar pelas coisas todos os dias do ano, fazer com que aconteçam. não vou fazer dieta, não vou deixar de fumar... e se achar que devo, fá-lo-ei... em qualquer dia do ano que resolva.
porque o novo ano não me resolve. hoje há sempre 365 dias fresquinhos para estrear.
dizem que há sempre esperança. tenho-a sempre e nunca a tive.
há sempre motivos para sorrir, todos os dias. por mais que a alma chore.
deixem-me chorar mais um pouco. os sorrisos vêm, por inerência, por contraste, por complemento, por afinidade.

0 impressões digitais: