segunda-feira, 7 de novembro de 2005

onde andas?

loira, tonta, de olhos grandes.
onde andam eles?
os olhos?
porque te dizes menos? porque te dizes longe?
sabes, maninha querida, que estás no casulo do meu coração?
e enquanto as estações passam, sinto-te quase borboleta...
quase a voar. não é para fora do meu coração. a esvoaçar, com as outras, dentro de mim.
minha pequenina, tonta, de olhos grandes e caracóis de sol.
põe pimenta nessa língua de pensares assim.
de não pensares também em tudo o que é nosso e bonito.
de que tu fazes parte.
esses pesos que carregas, usa-os como apenas raízes ao solo.
para poderes florescer.
com a água dos dias bons.
quero-te perto, maninha linda.
um beijo

2 impressões digitais:

Daniel Aladiah disse...

Querida Polegar
Por que sentes que ela anda longe?
Ela sabe que a amas, mas às vezes não demonstramos isso de uma forma que seja entendida como amor.
(mesmo que não tenha nada a ver, sou eu a pensar alto... :))
Um beijo
Daniel

Pedro Soares Lourenço disse...

lindo....